O Senhor Onipotente O Poderoso Yeshua O Salvador

O Senhor Onipotente O Poderoso Yeshua O Salvador
Jesus Cristo Chamado em Hebraico de Yeshua que quer dizer O Eterno Salvador

O Senhor Onipotente Salvador

O Senhor Onipotente Salvador
Yeshua O Senhor Salvador Jesus Cristo

Belo Horizonte

Belo Horizonte Tem Jeito Jesus Cristo

Belo Horizonte Tem Jeito Jesus Cristo
Belo Horizonte Has A Way Jesus Christ - Slogan da Campanha Mundial da Fraternidade 2012

No Mais Belo Horizonte Cerimonial

Crepúsculo em Curral del Rey

JC Ama Curral Del Rey BH.

JC Ama Curral Del Rey BH.
JC Ama Sua Terra Natal Belo Horizonte A Linda Capital Das Minas Gerais

Borboletas

Borboleta

Bairros Tradicionais da Capital Mineira Belo Horizonte



* Vista Parcial de Belo Horizonte *
* Histórico da Capital de Minas *
Sua ocupação remonta à construção da nova Capital, sendo uma das regiões mais antigas de Belo Horizonte. Com bairros tradicionais como Floresta, Santa Efigênia, Santa Tereza e Sagrada Família, a região se expandiu dando origem a novos bairro como Colégio Batista, Horto, Instituto Agronômico e outros.

** Bairros de Belo Horizonte **


*** Floresta ***
O bairro mais antigo da região surgiu com a construção de casas simples que serviram de residência para os operários da comissão construtora da Capital. Pela proximidade do centro da Capital, a expansão da cidade dirigiu-se em direção ao Floresta, que se desenvolveu rapidamente surgindo novas e modernas contruções. Locais tradicionais como a rua Itajubá que, durante muito tempo, foi um dos pontos mais movimentados da cidade pela animação de seus bares e bailes de carnaval, fazem a história do bairro. Ainda no Floresta encontra-se a primeira fábrica de doces de Belo Horizonte, a Lalka, que fundada pela família polonesa Grochowski em 1925, ficou famosa por seus bombons, balas e chocolates. Vários personagens ilustres como Carlos Drummond de Andrade, Pedro Nava e Waldemar de Almeida Barbosa foram moradores do Floresta.

*** Santa Tereza ***
O bairro foi ocupado inicialmente por imigrantes, predominantemente italianos. Isso foi devido à localização do Centro de Imigração neste bairro, que acolhia e regularizava a situação desses imigrantes no país. No início do século XX, o
bairro ficou conhecido como a região do Isolado, pela presença de um hospital  que tratava de pacientes psiquiátricos e tuberculosos, doença respiratória considerada incurável na época. O bairro possui uma forte efervescência cultural, marcado pelos seus tradicionais blocos carnavalescos (como a Banda Santa) e surgimento de musicistas como Milton Nascimento, Lô Borges, Beto Guedes e Fernando Brant e bandas conhecidas internacionalmente como Sepultura e Skank. Possui larga variedade de opções de diversão e atividade cultural, como as casas de seresta, as feiras de artesanato e o famoso macarrão do Bolão, que atraem pessoas de todas as partes da cidade.

** A Construção da Nova Capital **
A mudança da capital de Minas Gerais foi cogitada já em meados do século XIX, quando o Presidente da Província Soares de Andréa propôs a mudança para Mariana ou Säo João Del Rey. Em 1867, o deputado Pe. Souza Paraíso, apresentou projeto transferindo a capital para as margens do Rio das Velhas. O deputado apontava duas razões para a mudança da capital de Ouro Preto: a situação topográfica desfavorável e a decadência da região mineradora.


A Nova Capital de Minas Planejada Belo Horizonte


Foi organizada, a planta geral da futura cidade dispondo-se na parte central, no local do atual arraial, a área urbana, de 8.815.382 m², dividida em quarteirões de 120 m x 120 m pelas ruas, largas e bem orientadas, que se cruzam em ângulos retos, e por algumas avenidas que as cortam em ângulos de 45º.
Às ruas fiz dar a largura de 20 metros, necessária para a conveniente arborização, a livre circulação dos veículos, o trafego dos carros e trabalhos da colocação e reparações das canalizações subterrâneas. 
Às avenidas fixei a largura de 35 metros, suficiente para dar-lhes a beleza e o conforto que deverão, de futuro, proporcionar à população. Entretanto, Aarão Reis não queria a cidade como um sistema que se expandiria indefinidamente. Entre a paisagem urbana e a natural foi prevista uma zona suburbana de transição, mais solta, que articulava os dois setores através de um bulevar circundante, a avenida do Contorno, bastante flexível e que se integrava perfeitamente na composição essencial. A concepção do plano fundia as tradições urbanísticas americanas e européias do século XIX. O tabuleiro de xadrez da primeira era corrigido por meio das amplas artérias oblíquas, e espaços vazios, uma preocupação constante com as perspectivas monumentais que provinha do Velho Mundo, com marcadas influências de Haussmann.